PRESENTE DE NATAL: Mais de 100 servidores demitidos por Ilderlei Cordeiro só receberão direitos trabalhistas 2018

A prefeitura de Cruzeiro do Sul demitiu mais de 100 servidores provisórios nos últimos meses. Alegando problema de caixa para manter a folha de pagamento, o prefeito Ilderlei Cordeiro (PMDB) exonerou os trabalhadores contratados através de nomeações. De acordo alguns dos demitidos, o gestor teria realizado uma reunião e comunicado que os direitos trabalhistas seriam quitados a partir de janeiro de 2018.

A reportagem entrou em contato com o secretário de administração, Ivo Galvão. Ele confirma as demissões e destaca que as exonerações dos servidores teriam acontecido para não causar o atraso no pagamento. “O que não dá é deixar o servidor e no final do mês não ter como pagar. Esse pessoal que ele tirou vai pagar em janeiro, porque agora não tem fôlego financeiro. Apertamos para não comprometer serviços”, diz.

Os servidores efetivos denunciam ainda o atraso no pagamento do mês de dezembro. A secretário nega o atraso e informa que aconteceu um problema bancário de processamento no banco, que a culpa não seria da administração municipal. “O que tivemos foi que parte do pessoal do fundo de saúde que foi para o banco e não processou. Não foi problema da administração. O problema numa remessa”, enfatiza.

Ivo Galvão destaca que a folha de pagamento foi repassada ao banco na última quinta-feira. “Para você ter uma ideia, o salário do prefeito e do vice até sexta não tinha saído. Ele me ligou para saber o que estava acontecendo, que o salário dele e de alguns servidores não tinha saído. Na sexta-feira reenviamos a folha, mas hoje (segunda-feira, 04) resolve”, disse o secretário de administração de Ilderlei.

Apesar das justificativas da administração municipal, a ceia de Natal de mais de 100 famílias está comprometida, já que foram demitidos e a perspectiva de recebimento de seus direitos trabalhista ficou para 2018. Ivo Galvão não descartou a recontratação de parte dos demitidos no próximo ano. “Em janeiro boa parte volta, dependendo do fôlego financeiro da prefeitura, eles serão readmitidos”, finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *