Novo modelo de cadastro para quem paga as contas em dia pode injetar R$ 3 bilhões na economia do Acre, aponta pesquisa

O novo modelo do Cadastro Positivo – com informações de consumidores que pagam as contas em dia – pode injetar R$ 3 bilhões na economia do Acre, segundo uma avaliação da Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC).

Conforme a entidade, com essas informações as empresas vão poder possibilitar acesso a crédito para 120 mil novos consumidores no Acre, o que representa 10% da população total do estado. Essas pessoas, segundo a associação, estão fora do mercado de consumo por terem pontuação de crédito baixa e não por estarem inadimplentes.

Os números, segundo a associação, fazem parte de uma pesquisa divulgada pelo Serasa Experian e mostrou ainda que o Cadastro Positivo pode inserir 22 milhões de consumidores no mercado de crédito nacional e injetar mais de R$ 1 trilhão na economia brasileira.

A pesquisa realizada pela associação mostrou ainda que 50,2% dos consumidores do Acre estão inadimplentes. O índice é superior à média nacional, que é de 40,3%. O novo Cadastro Positivo pode reduzir a porcentagem de devedores no estado para 45%.

A criação do cadastro está em pauta para votação na Câmara dos Deputados. A PL 441/2017 já teve o texto-base aprovado, segundo a associação. Mas, a partir de agora, os congressistas votam os destaques apresentados para a proposta. O Cadastro Positivo já é previsto pela lei Lei 12.414/11, mas o uso é optativo.

O novo texto prevê que a inserção de dados positivos dos consumidores no cadastro seja obrigatória da mesma maneira que é feito o Cadastro Negativo conhecido como o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC).

Essas informações podem ser usadas para conceder crédito e para que as empresas saibam quais as formas de pagamento mais usadas pelos clientes em contas de água, gás, energia e telefonia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *