BOLSONARO confirma “chapa verde-oliva” com GENERAL MOURÃO como seu vice na corrida presidencial.

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) anunciou na tarde deste domingo (5) o general Hamilton Mourão (PRTB) como vice na sua chapa verde-oliva.

Será a primeira vez na História deste país que um general vai prestar continência para um ex-capitão do Exército, caso Bolsonaro seja eleito presidente da República.

Com o acordo com o PRTB, Bolsonaro ampliará seu tempo de TV de oito para 12 segundos no horário eleitoral. Além dos blocos, o candidato do PSL terá direito a sete inserções de 30 segundos durante a campanha.

Quanto ao vice, general Mourão, ele foi demitido da Secretaria de Finanças e Economia do Comando do Exército, no ano passado, por defender um golpe militar no Brasil e por ter dito que o governo Michel Temer (MDB) é um “balcão de negócios”.

No discurso deste domingo, Bolsonaro agradeceu Janaína e também o príncipe Luiz Philippe. Janaína alegou questões familiares para não ser candidata.

Intervenção militar e elogios a Ustra

Antonio Hamilton Martins Mourão é gaúcho de Porto Alegre, tem 64 anos. Entrou para o Exército em 1972 e ficou na ativa até fevereiro de 2018.

Ele ganhou notoriedade em outubro de 2015, quando estava no Comando Militar do Sul e fez críticas ao governo da presidente Dilma Rousseff. Em uma palestra no Centro de Preparação de Oficiais da Reserva (CPOR) em Porto Alegre, o general afirmou que era preciso um “despertar para a luta patriótica” como saída para crise política do país.

No dia 20 de outubro daquele ano, a frase foi publicada em reportagem da “Folha de S. Paulo” – parte da palestra já havia sido relatada pelo jornalista Tulio Milman, no jornal “Zero Hora”.

Mourão confirmou ter dito a frase durante a palestra, mas explicou que não se tratava de uma convocação. Segundo ele, a “luta patriótica” a que se referiu é o “esforço e empenho de todos os patriotas no sentido de sobrepujar a crise”.

Nove dias depois, o Exército Brasileiro anunciou sua exoneração do cargo de comandante das tropas na região Sul, e o transferiu para assumir uma posição na Secretaria de Economia e Finanças do Exército. O Exército não informou o motivo da exoneração.

ESCOLHIDO COMO VICE DE BOLSONARO, GENERAL MOURÃO DIZ ESTAR ‘HONRADO’

Mourão permaneceu na Secretaria de Economia e Finanças até dezembro de 2017, quando foi transferido para a secretaria geral do Exército, sem função específica, de acordo com a assessoria de imprensa, que não divulgou o motivo. Dois dias antes, em outra palestra, desta vez no Clube do Exército em Brasília, Mourão havia comparado o governo Temer a um “balcão de negócios”.

Ele entrou para a reserva do Exército em fevereiro de 2018, tecendo novas críticas ao governo Temer em seu discurso de despedida.

No mesmo dia Mourão chamou de HERÓI  o coronel reformado Carlos Alberto Brilhante Ustra, que morreu em 2015, aos 83 anos, e foi chefe do DOI-Codi do II Exército, em São Paulo, órgão de repressão política durante o Regime Militar.

Por: Richard Corrêa

Post Author: Fabiano Azevedo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *