Com 154 casos notificados, prefeitura intensifica ações para evitar surto de dengue no interior do Acre

Em Mâncio Lima, no interior do Acre, a prefeitura intensificou as ações de combate à dengue para evitar o aumento no número de casos da doença. Este ano já foram feitas 154 notificações, fora os casos não foram atendidos no próprio município, pois os pacientes se deslocaram para Cruzeiro do Sul, a 32 quilômetros, para realizar os exames.

As notificações dos casos de dengue em Mâncio Lima aumentaram a partir de agosto deste ano. Só no bairro Guanrany, de agosto até o fim de outubro, 45 pessoas procuraram a unidade de saúde com sintomas da doença. No bairro São Vidal foram 23 notificações e no bairro São Francisco 51 pacientes tiveram que fazer o exame.

A maioria ainda está sendo investigada e até agora, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, foram confirmados 35 casos. No entanto, esse número não representa a situação real dos casos de dengue em Mâncio Lima, pois, o município não dispõe de laboratório para realizar o diagnóstico e muitos pacientes preferem procurar atendimento em Cruzeiro do Sul.

Diante desse quadro, a prefeitura intensificou as ações de controle da doença. Durante esta semana, a Secretaria de Saúde iniciou um mutirão e conta com o apoio de alunos, professores, agentes comunitários de saúde para visitar as casas e orientar a população. As equipes realizam palestras em escolas, fazem a borrifação vetorial e coletam material dos pacientes que estão com sintomas para providenciar os exames laboratoriais.

De acordo com a secretária de saúde, Joice Gonçalves, na maioria das casas de alguns bairros, o vetor é encontrado nos reservatórios de água.

“A gente encontra muito pouco foco fora dos domicílios. Geralmente são dentro dos tanques que as pessoas armazenam água. Nas visitas nos quintais confirmamos que, dificilmente um foco é encontrado fora da casa. E a gente orienta as pessoas informando que o foco está ali e pede que limpe os reservatórios, e não é só lavar o tanque. Tem que trocar a água, limpar com água sanitária e não deixar o tanque sujo”, alerta a secretária.

Joice diz que muitas pessoas resistem em tomar as medidas necessárias para evitar a reprodução do mosquito. Por conta disso, a prefeitura já procurou o Ministério Público para pedir apoio para tomar providências com os moradores que não atendem as recomendações dos agentes.

“Já fui ao Ministério Público e conversamos com a promotora e colocamos essa questão”, afirmou Joice.

Post Author: Fabiano Azevedo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *