Rio Juruá chega a 13,66 metros e sobe para 24 o nº de famílias desabrigadas no interior do AC

O nível do rio Juruá chegou a 13,66 metros na manhã desta quinta-feira (7), ultrapassando a cota de emergência, que é de 13,65 m, e afetando diretamente mais de 6 mil moradores de Cruzeiro do Sul, interior do Acre.

Por conta da cheia, 24 casas já foram desocupadas pelas famílias e a prefeitura anunciou que se prepara para decretar situação de emergência ainda nesta quinta.

Ao menos quatro bairros da segunda maior cidade do Acre e três comunidades ribeirnhas já estão alagadas. De acordo com a Defesa Civil, na zona urbana já são mais de 4 mil moradores que estão com as casas atingidas pela água e mais de 2 mil nas comunidades às margens do rio.

Desses locais, 24 famílias já foram obrigadas a sair de casa. Dessas, dez foram encaminhadas para um abrigo coletivo montado pela prefeitura em um ginásio de esportes. Mas, sete famílias preferiram ir para casas de familiares e outras sete foram encaminhadas para Aluguel Social.

O vendedor ambulante Rubens Silva foi obrigado a sair de sua casa no bairro Miritizal, na tarde desta quarta-feira (6). Ele conta que no mesmo bairro onde mora, outras famílias já estão convivendo com a água acima dos assoalhos das casas e resistem em deixar suas moradias.

“Ainda tem lá várias famílias para vir. Uma delas é a minha mãe que já está com a água a um palmo acima do assoalho e ainda não quis sair, mas acho que hoje ela não vai mais ficar, porque a situação está ficando a cada dia mais complicada”, disse o morador que está com sua os filhos e a mulher no abrigo coletivo.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil, José Lima, devido ao volume de chuvas na região, a previsão é que o manancial continue elevando o seu nível e outras famílias já estão solicitando apoio para sair de casa.

“As ligações estão sendo constantes agora. Só até as 6 horas desta manhã já recebi a solicitação de mais seis famílias que serão retiradas ainda nesta quinta. O rio continua subindo e acredito que até ao meio-dia chegue a cota de 13,70 metros e teremos uma quantidade bem maior de famílias desalojadas que serão levadas para o abrigo”, disse Lima.

Para receber as solicitações de apoio, a prefeitura montou uma tenda no porto da cidade, onde os moradores das áreas alagadas são atendidos na hora de pedir socorro. O prefeito em exercício, Zequinha Lima, anunciou que o município deve decretar estado de emergência ainda nesta quinta.

“É uma situação preocupante, mas já estávamos prevendo isso e nos preparamos de forma antecipada para evitar ao máximo os transtornos para essas famílias que terão total apoio nesse período. Como há uma tendência de elevar ainda mais o nível e já atingimos a cota de que podemos decretar estado de emergência, vamos fazer isso ainda hoje para acionarmos os nossos parlamentares e a esfera federal para que possamos solicitar ajuda e termos as condições necessárias para diminuir o sofrimento dessas famílias”, informou o prefeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *