Mandato em risco: procurador pode abrir investigação contra Alan Rick em caso de esquema de ‘laranja’

O uso de laranjas para desviar recursos do fundo eleitoral na campanha de 2018, pode ser investigado a fundo no Acre.

O procurado eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AC), Fernando José Piazenski, não descarta abertura de investigação para apurar as denúncias que tem como principal acusado, o deputado federal reeleito Alan Rick, do Democratas.

Mas a abertura de uma ação de investigação eleitoral depende do aparecimento de indícios ou irregularidades na prestação de contas do parlamentar, já aprovada pela corte eleitoral do Acre.

“Aparecendo um indício, um fato robusto que justifique uma investigação, pode-se apurar. Mas é preciso que alguém apresente esses fatos”, disse Piazenski.

O procurador observa que a Justiça precisa ser provocada para agir, ou seja, a abertura de uma investigação depende da apresentação de fatos novos, uma vez que a prestação de contas do deputado citado como beneficiado no esquema foi analisada e aprovada pelo TRE.

No entanto, o próprio procurador disse ter notado “fatos curiosos” na prestação de contas de Alan Rick e da policial militar Sônia de Fátima Silva Alves, candidata que, segundo a denúncia divulgada pelo jornal Folha de São Paulo, teria atuado como “laranja” para fazer chegar ao de deputado o dinheiro que recebeu do fundo partidário.

De acordo com o que foi publicado pelo jornal paulista, Sônia recebeu R$ 279 mil do fundo eleitoral e repassou 16% para Alan Rick.

Com informações da Tribuna

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *