No AC, motorista envolvido em acidente que matou advogado deve ser ouvido pela polícia

O caminhoneiro Wanderlei Farias de Lima, de 45 anos, envolvido no acidente que matou o advogado Rafael Circcone, de 42 anos, será ouvido pela polícia de Cruzeiro do Sul ainda esta semana.

O delegado Lindomar Ventura, que instaurou o inquérito, também vai intimar testemunhas que chegaram ao local logo após do acidente.

Lima dirigia o caminhão que se chocou contra a moto, que era conduzida pelo advogado, na última quinta-feira (2), na estrada que liga as cidades de Guajará (AM) e Cruzeiro do Sul (AC). Depois do acidente, o caminhoneiro permaneceu no local e acionou o socorro, mas não foi para a delegacia.

O delegado Lindomar Ventura, que apura as causas do acidente para apontar se houve culpa dos envolvidos, disse que, por ter adotado todos os procedimentos legais para o caso, não houve a necessidade de conduzir o motorista do caminhão.

“Ele prestou socorro e fez todo procedimento correto. A gente poderia ter ouvido ele no dia, mas preferimos dar um certo tempo, até para que também tivéssemos um entendimento melhor do caso. Mas ele agiu dentro do que se espera em uma situação dessas”, disse Ventura.

De acordo com o delegado, o condutor será intimado e deve comparecer à delegacia ainda esta semana para prestar depoimento.

“Vamos aguardar um laudo do local do acidente e o laudo cadavérico para saber a causa da morte e vamos ouvir as pessoas envolvidas. Estamos ainda nesse processo de oitiva das pessoas. Já temos agendada a oitiva do motorista do caminhão para esta semana e, nestes casos, queremos apurar a dinâmica dos fatos para saber se há algum tipo de culpa de alguém”, explicou o delegado.

No local do acidente, o condutor do caminhão falou para os policiais que a vítima teria perdido o controle da direção e invadido a pista contrária.

“A princípio, a informação que a gente tem é que o condutor da moto teria perdido o controle e teria saído da mão dele. Mas, isso a gente tem que confirmar através dos depoimentos e do laudo pericial”, disse o delegado.

O advogado Rafael Ciccone voltava de um trabalho voluntário de conciliador da justiça na cidade amazonense e foi atingido pelo caminhão ao chegar em Cruzeiro do Sul. Ele teve fratura nas costelas e em uma perna e ainda foi socorrido com vida, mas morreu logo que chegou ao Pronto-socorro. O corpo dele foi levado para o interior de São Paulo, onde foi enterrado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *